She screams in silence*

anonymouswomen

Ainda sobre Gilmore Girls e as lembranças que o Revival me despertaram.

Gravidez na adolescência. Consigo me lembrar de dois acontecimentos, claro que dever ter havido outros, mas esses dois me marcaram pela proximidade e pela brutalidade marcante de ambos.

Aos 9 anos, eu morava em São Paulo e, na casa do lado da minha, morava uma família predominantemente de mulheres. O pai aparecia muito de vez em quando e o melhor adjetivo que posso encontrar para ele é sombrio. Vestia a fantasia de homem honesto e correto, mas nas poucas vezes em que surgia, trazia consigo gritos e choros que ecoavam por toda vizinhança.

A filha mais velha ficou grávida aos 16. Lembro-me bem dela, uma garota vivaz, alegre, de sorriso amplo. Ela engravidou e continuou morando na casa da mãe; a gravidez era comentada em sussurros. Quando o pai soube, houve uma surra medonha. Ele a trancou no banheiro e bateu nela, muito, demais, com um fio.

Da laje da minha casa dava para ver o banheiro onde ele a trancou. Os gritos, a situação, a família toda ali, todo mundo sabendo o que estava acontecendo.

Ele surrou a filha grávida.

E ninguém fez nada.

Depois, ela teve o bebê, uma menina. A família inteira adorava a criança. Inclusive o pai que surrou a mãe da neta durante a gravidez.

Aos 12, morando em outra cidade e com dificuldades de adaptação, juntei-me a duas outras meninas que, com o passar do tempo, passei a chamar de amigas. A R. era mais próxima, viamo-nos sempre, íamos juntas para a escola. A C. era mais distante. De família extremamente repressora, evangélica, era proibida de sair conosco, então só nos encontrávamos em sala de aula.

Dois anos depois, em uma visita (eu tinha voltado a morar em São Paulo, capital, no começo de 1994), perguntei a R. sobre a C., e fiquei sabendo que ela havia morrido um ano antes. Fiquei chocada. Acho que foi a primeira morte de alguém jovem como eu e próximo de que tomei conhecimento. O mais chocante foi a causa: C. tinha morrido em decorrência de um aborto clandestino.

Ela engravidou em uma das raras saídas em que conseguiu escapar da vigilância da família. Quando descobriu a gravidez, desesperada, procurou uma “aborteira” na cidade vizinha. Foi encontrada empapada em sangue, em seu quarto, três horas depois.

Ninguém fez nada para ajudá-la.

Essas foram minhas experiências indiretas com o tema gravidez na adolescência.

Vendo o Revival de Gilmore Girls, dei-me conta de uma coisa que sempre me incomodou, mas que eu ainda não sabia o que era. Aí descobri. A gravidez de Lorelai, as tintas que usaram para colori-la, de como abordaram o assunto. Eu sei, é ficção, mas sinceramente, não houve perrengue algum em decorrência dessa gravidez adolescente. Então me incomoda o fato de usarem um problema sério de modo tão leviano, porque o que eu conheci na realidade, está muito distante do que vi na ficção.

Enfim, era só isso mesmo.

*She, Green Day.

Anúncios

Autor: veronyx

"I am not a smile." - SP

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s