I keep on talkin’ trash but I never say anything*

“Dor chega em todas as formas possíveis. Uma dorzinha aguda, um pouquinho de depressão, a dor aleatória com que convivemos todos os dias. Então tem o tipo de dor que você simplesmente não consegue ignorar, um nível tão grande de dor que bloqueia todo o resto, faz com o que o mundo inteiro desapareça até que a gente só consiga pensar que o tanto que machucamos e a maneira com que lidamos com a dor é totalmente pessoal. Nós anestesiamos, sobrevivemos a ela, ou a abraçamos, ou ignoramos. Para alguns de nós, a melhor maneira de lidar com ela é atravessando-a.

[…]

A dor. Você só tem que sobreviver a ela, esperar que ela vá embora sozinha, esperar que a ferida que a causou, cure. Não há soluções, respostas fáceis. Você só respira fundo e espera que ela vá diminuindo. Na maior parte do tempo, a dor pode ser administrada, mas às vezes ela te pega quando você menos espera, te acerta abaixo da cintura e não te deixa levantar. Você tem que lutar através da dor, porque a verdade é que você não consegue escapar dela e a vida sempre te causa mais.” – Grey’s Anatomy, 2×05

 

yanghope

Este poderia ser um post motivacional. Poderia ser um texto esperançoso. Poderia ser gotas de sabedoria. Conselhos. Ideias. Um manual de instrução. Este poderia ser um texto do tipo que muda vidas, faz a diferença. Poderia ser parte de algo maior. Poderia ser um trecho do grande romance americano. 

Mas eu só queria dizer que: a vida passa, às vezes correndo, de vez em quando, devagar, mas o Tempo sempre é escasso, mesmo sendo infinito. Então, não sobra muita coisa. Não dá para entender tudo. Não dá para fazer tudo. Não dá para dizer não para tudo.

Sinto-me suspensa, levada por uma bolha de sabão, vendo tudo de cima. Não dá para ser coerente agora.

*Portions for foxes – Rilo Kiley

 

 

Anúncios

Autor: veronyx

"I am not a smile." - SP

3 comentários em “I keep on talkin’ trash but I never say anything*”

  1. queria dizer que eu detesto o tal Trigger Warning mas que mudo de idéia às vezes, quando leio um texto seu sem respirar antes. e, olha, você sabe que eu sou Pollyana na ilha da fantasia. Mas tem coisas que até quem tem um set de cinema no lugar do coração (aka, eu), sente. E, né, Grey´s é golpe abaixo da linha da cintura.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s